Destaque

Motoristas de aplicativos de Porto Velho aderem a greve global

Protesto na capital também reivindica redução da porcentagem descontada das corridas e aumento da tarifa

PORTO VELHO RO – Motoristas por aplicativos de transporte de Porto Velho se uniram nesta quarta-feira (8) ao movimento internacional e iniciaram um protesto, desligando os apps por 24 horas. O protesto começou pela manhã, no Espaço Alternativo com o nome “Uber Off” (Uber desligado).

Na versão local, as manifestações são contra o que os motoristas consideram baixas tarifas cobradas pela empresa que, somada ao aumento dos preços do combustível, vem corroendo seus gastos e alongando as jornadas de trabalho.

Segundo o motorista de  aplicativo, Leandro,  a luta é pelo aumento das tarifas, que é o principal problema. “Nossas corridas estão muito defasadas. Os motoristas recebem quase nada e estão pagando para trabalhar. Em Porto Velho, o litro da gasolina está custando em média R$ 5,00, e o preço da corrida minima custa R$ 6,75”, completou.

Outro ponto de reivindicação, é redução da porcentagem que é descontada em cima de cada corrida, que hoje varia de 25% a 40%, voltado para 10% que era praticada pela Uber quando iniciou seus trabalhos aqui no brasil.

“Sabemos que hoje em Porto Velho as empresas de aplicativos locais ja não precisam se basear pela tarifa da Uber. A empresa paga hoje R$ 4.50 para o motorista em uma corrida mínima de 2.9km. Já as empresas locais pagam R$ 7.00 na corrida mínima em até 4.2km e não pagam taxa de cancelamento”, disse o presidente da Associação dos motoristas profissional por App de estado de Rondônia (Ampparon), Rodrigo Sena.

Fonte: Via RO