DestaquePolícia

Manifestos cobram respostas da Justiça e homenageiam professora assassinada

Uma carta de comprometimento com os direitos das mulheres será entregue ao governador do estado de Rondônia, logo após o encerramento do ato.

PORTO VELHO, RO – Outro manifesto tomou conta das ruas de Porto Velho na manhã desta terça-feira (19), desta vez ativistas dos direitos das mulheres e a comunidade da capital se reuniram em frente à Delegacia da Mulher para proclamar em defesa das mulheres e cobrar respostas nos casos de feminicídio que tem aumentado na cidade, em especial o assassinato da professora morta a pauladas pelo ex-marido na manhã de domingo (17).

Durante o ato, as mulheres ressaltaram a impunidade em relação à esses crimes e cobrou a prisão do assassino da professora Joselita Felix da Silva.

Uma carta de comprometimento com os direitos das mulheres será entregue ao governador do estado de Rondônia, logo após o encerramento do ato.

Passeata na zona Sul

Na noite de ontem (18), alunos, ex-alunos, amigos e familiares da professora Joselita Félix da Silva também estiveram reunidos em frente à faculdade Fimca, onde a vítima lecionava, no intuito de sensibilizar à população e alertar sobre os crescentes números de violência contra a mulher.

Repleto de emoção e homenagens à Joselita, o manifesto exigiu Justiça ao caso e cobrou das autoridades o direito das mulheres à vida.

Logo após uma oração, o grupo seguiu em passeata por ruas da zona Sul da cidade.

Audiência de custódia do suspeito pelo assassinato, Ueliton Aparecido, acontece na terça-feira (19). — Foto: Facebook/Reprodução

Audiência de custódia do suspeito pelo assassinato, Ueliton Aparecido, acontece nesta terça-feira (19). — Foto: Facebook/Reprodução